Área de Concentração

Psicologia Social e do Trabalho

 
Essa área agrega dois domínios da pesquisa em psicologia que podem ser vistos como relativamente independentes, apesar dos importantes vínculos que mantêm entre si. A psicologia social se dedica ao estudo de tópicos clássicos nos campos da cognição social e da representação social, considerando fenômenos como a violência, os estereótipos, os preconceitos, as comunicações e vínculos sociais, cuja investigação, a partir da psicologia, tem implicações sociais relevantes. A interface entre a psicologia e o mundo do trabalho constitui, por seu turno, outro amplo e consolidado domínio de investigação. Esta vertente da área de concentração toma como foco, sobretudo, a perspectiva psicossocial para a compreensão de processos micro-organizacionais, a exemplo das cognições, emoções, atitudes e aprendizagens que configuram os espaços institucionalizados de trabalho. Em decorrência, abarca os impactos de tais processos sobre a saúde no trabalho, as emoções e os processos de gestão de pessoas em contextos organizacionais.
 

Psicologia de Desenvolvimento

 
A área estuda o ciclo vital humano, focalizando os diferentes domínios: desenvolvimento dos processos cognitivos, emocionais, sociais e comportamentais, incluindo sua interação e integração, relacionados aos contextos em que ocorrem. Além dos fenômenos desenvolvimentais clássicos, a área abrange o estudo de teorias referentes aos mecanismos de mudança desenvolvimental. Essa área vem se articulando em torno de projetos de pesquisa voltados para os diferentes contextos da infância: a família, a creche, a escola, o brincar, o trabalhar, a rua, e outras instituições. Convergindo quanto à temática, os projetos se apóiam em distintos enquadres teórico-metodológicos, privilegiando, em parte, processos de desenvolvimento e, em parte, história, representações sociais e práticas de proteção à infância e adolescência.